Expandir

3 atitudes que fazem empreendedores de TI sabotarem o crescimento da própria empresa

Rafaela Campos
Escrito por Rafaela Campos em 15 de agosto de 2020
Fique por dentro e seja melhor a cada dia

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Se engana quem acha que para ter um negócio próspero terá que apenas aprender a lidar com situações externas e outras pessoas.

Se o caminho para o crescimento envolvesse só isto, seria muito, mas muito mais fácil… Porque o que descobrimos no meio da jornada é que o inimigo não mora ao lado, ele mora dentro… e faz muito mais estragos do que os demais.

Existem inúmeras atitudes sabotadoras que nós, humanos, temos e repetimos indefinidamente.

E aqui, neste texto separei 3 principais atitudes que percebi presentes não só na minha jornada como também na de vários outros empreendedores de TI e que podem sabotar o crescimento do mais inteligente e bem intencionado ex-técnico e recém-empreendedor desatento à essas armadilhas.

Por isso, para ajudar você a poupar tempo e sofrimentos excessivos, seguem 3 atitudes sabotadoras a serem eliminadas da sua vida enquanto empreendedor.

1. Achar que sabe a resposta de algo sem testar antes.

Isso pode acontecer em várias situações na empresa, desde a definição de novos processos até, principalmente, na prospecção de novos mercados ou novos clientes.

É incrível como vários empreendedores de TI que eram técnicos têm a capacidade de achar que tem as respostas para tudo antes mesmo de testar a realidade.

Isto é resultado de uma mente lógica com raciocínio abstrato afiado, mas que ainda não descobriu que o mundo não é tão lógico quanto se imagina. Aliás, que as pessoas são ilógicas e a sociedade criada por elas é só um reflexo disto.

Por isto, quando você, que tem origem técnica se pegar achando que tem a resposta antes de testar a realidade, pergunte a si mesmo: “Como eu tenho certeza disto?” e seja duro consigo mesmo buscando evidências sólidas e embasadas em fatos de que você não está apenas se sabotando.

Na dúvida, teste a realidade. Afinal, que mal tem você descobrir que estava errado e algo que você imaginou que seria impossível, na verdade, é possível e funciona?

2. Tudo ou Nada. 0 ou 1. Certo ou Errado. Preto ou Branco. Isso ou Aquilo.

Pode escolher a variação, eu já fui exatamente deste jeito e hoje sei que isto tem nome, chama-se visão dicotômica da vida.

Muito comum em quem tem o hábito de procurar padrões e encarar a vida de forma lógica (qualquer semelhança com programadores NÃO é pura coincidência…) isto torna a pessoa em alguém fechado, resistente à ideias diferentes, inflexível e teimoso.

É uma prepotência imensa disfarçada de racionalidade acreditar que o mundo, a vida, a humanidade e tudo que existe cabe em padrões simplistas ou dualistas, ignorando todo o espectro que existe entre o tudo e o nada, entre o 0 e o 1 ou entre o branco e o preto…

Isso é uma limitação da razão e para falar sobre isso, Shakespeare criou em Hamlet a conhecida frase: “Há mais coisas entre o céu e a terra do que sonha a nossa vã filosofia”

E empreender significa lidar principalmente com essas “mais coisas entre o céu e a terra”, porque exige relacionamento com diferentes pessoas, desafios constantes de novos concorrentes, exigências de consumidores e mudanças no ambiente, bem como ousadia e jogo de cintura para gerar resultados mesmo diante de instabilidade, inseguranças, incertezas e caos.

Por isso, o empreendedor para ser bem sucedido precisa aprender a ser antifrágil, só que o pensamento dicotômico dificulta muito isto.

3. Querer organizar primeiro para só depois fazer

Essa atitude eu coloquei como terceira, mas fico com sérias dúvidas se não seria a primeira, de qualquer forma, como ela é consequência e continuidade das anteriores, resolvi deixar aqui mesmo.

E aí te faço uma provocação: Em que mundo é possível organizar e sistematizar algo em que não há nem certeza de que aquilo irá funcionar?

Chega a ser ilógica a preocupação de muitos empreendedores de TI de organizarem, definirem e sistematizarem processos para depois começarem a executá-los.

É compreensível se entendermos que os computadores só fazem aquilo que foram previamente programados para fazerem (tiveram seus processos definidos em algoritmos) e que não são capazes de executarem algo sem programação prévia.

Mas, isto se aplica à computadores! Não aos humanos. Nós, humanos, nós podemos fazer, descobrir, fazer novamente de outro jeito, comparar os resultados, fazer novamente mudando de novo e repetir esse ciclo até que a gente encontre o próprio padrão, onde o desempenho é ótimo e diferente dos demais.

E aí a chave é “encontre o próprio padrão”, e não “defina e siga o padrão idealizado” porque ele ainda não foi testado! Não foi submetido à irracionalidade da realidade! Ou seja, é uma versão cheia de falhas reais, mas que na teoria é perfeito!

E para piorar a cena adivinhe em que setor esse tipo de situação mais acontece!? No marketing e vendas!

Marketing e vendas exige lidar com pessoas e com testes e mais testes (fazer e fazer com muita estratégia e fundamentação mas com o mínimo de processos ou procedimentos definidos), antes de se chegar em uma conclusão de como realmente FAZER determinada coisa, para aí então padronizá-la. Não é de se estranhar que a principal dificuldade de técnicos que se tornam empreendedores seja justamente com vendas e marketing.

Porém, quem domina o marketing e a vendas domina a estratégia do negócio, que é a área mais importante da empresa e terceirizar ela pode levar à histórias como a dos irmãos McDonalds e do Ray Kroc… Pra quem não sabe, os irmãos McDonalds ficam pobres enquanto Ray Kroc faz fortuna com o sistema produtivo criado por eles e o modelo de negócios desenvolvido por Ray…

Não sei você, mas eu não gostaria de ser um dos irmãos McDonalds…

Mas, voltando pro mercado de tecnologia, vemos ainda que os principais empreendedores de TI do mundo, são justamente os que aprenderam a dominar a estratégia dos negócios, do marketing e das vendas.

Portanto, para finalizar e mudar essas 3 atitudes sabotadoras de uma só vez, desenvolva seu lado humano. Um bom começo é lembrar que você não é um computador, não precisa agir como um e mais, não deve agir como um ou corre o sério risco de seu negócio ter o mesmo destino dos computadores… ser desmontado para ter suas peças reaproveitadas ou ir parar em algum lixo eletrônico por aí!

Não deixe isso acontecer! Você pode mais! Você merece mais! Lembre-se que na revolução digital, o diferencial que garante o sucesso é, justamente, ser humano : )

E pra você, qual dessas 3 atitudes é mais relevante?

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *